terça-feira, 17 de maio de 2011

Entrevista com Juliana Robin: A fotógrafa das pin-ups

Juliana Robin é conhecida por fotografar meninas em estilo pin-up. Ela cuida de cada detalhe, desde o cenário e figurino até a seleção e tratamento das fotos. Toda essa dedicação ao trabalho, fez com que Juliana ficasse conhecida como a fotógrafa das pin-ups e têm gerado curiosidade por parte dos adeptos ao estilo vintage e retrô.

Atualmente com 23 anos, Juliana é formada em Design Gráfico na Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) de Porto Alegre, em 2008, mas hoje mora em Curitiba. Trabalhou alguns anos como designer na área de criação (marcas, embalagens, layouts de livros, revistas, etc), e paralelamente realizou trabalhos como figurinista para a área audiovisual (clipes e curtas metragens) e ilustração.

Intóxica: Quando você começou a gostar da cultura vintage?

Juliana: Desde que posso me lembrar gosto da cultura alternativa, o que me levou a ter contato com referências da era medieval, era vitoriana e as décadas de 40, 50 e 60. Comecei a curtir a cultura vintage (referente aos anos 40 e 50) a partir de 2003 quando comecei me interessar por corsets (espartilhos). Além disso os filmes holywoodianos clássicos destas décadas também sempre me chamaram a atenção para a sua estética.

Intóxica: Quando e como surgiu a idéia de fotografar pin-ups?

Juliana: Como tinha bastante interesse pela moda e estética das décadas de 40 e 50 pesquisava bastante sobre a produção cultural gerada neste período (tanto fotografia, quanto pinturas, filmes, ilustrações, etc) o que inevitavelmente me levou às pin-ups! Por gostar muito do tema "pin-up" e gostar de desenhar meninas neste estilo acabei sendo chamada para fazer produções de figurino deste tipo... Como gosto muito de fotografia e estava iniciando algumas experimentações fotográficas (ainda na faculdade) resolvi me aventurar a eu mesma fotografar as minhas produções e reunir ali tudo o que havia pesquisado.

Intóxica: O que mais você gosta e costuma fotografar, além das pin-ups?

Juliana: Amo fotografar "glamour girls" em geral. Gosto muito da estética dark, fetichista, burlesca, fantástica, reproduções e tributos de obras de arte, qualquer coisa envolvendo corsets e fotografia de moda em geral. Também adoro fotografar carros antigos, hot rods e motos. Além disso, também gosto muito de fotografar doces, comidas, ambientes... Enfim, tudo o que é agradável de admirar com certeza também é um ótimo objeto para fotografar.

Intóxica: De onde vem a inspiração?

Juliana: Humm.... Vem de tudo o que admiro e me interesso. Acho que tudo o que pesquiso e me envolvo de certa forma é uma fonte de inspiração para o que virei a pensar/fazer depois... Em termos de fotografia minhas principais inspirações são Helmut Newton, David La Chapelle e Cecil Beaton entre outros. Alguns artistas como Alphonse Mucha, John Willie, Sylvia Ji e, é claro, Gil Elvgren também me influenciam sobre o modo como representam a figura feminina. Além disso, figuras como a Bettie Page e Dita Von Teese são uma inspiração não apenas pela sua beleza mas também atitude e postura.

Intóxica: Já fez alguma exposição com seus trabalhos?

Juliana: Já participei de algumas exposições coletivas ainda em Porto Alegre com trabalhos de fotografia com o tema fetiche.

Intóxica: Você se considera uma pin-up também? Qual seu estilo?

Juliana: Não me considero uma pin-up. Pois geralmente escolho as minhas roupas e acessórios pela praticidade e conforto. Salto, por exemplo, só para ficar olhando na estante e admirando (hehe). Não sei qual seria o "nome" do meu estilo, mas amo corsets e uso sempre que tenho oportunidade, geralmente uso preto, jeans, baby looks de bandas, sapatilha e petit-poá.

Quem quiser ver mais sobre o trabalho dela, basta acessar o site: http://www.julianarobin.com/ Ela também tem um blog lindo! http://julianarobin.blogspot.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário